Blogs de Arte


Poesia


Notícias Culturais



oiça 13 minutos de...


Painel controlo

  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào



chat online








Sin hijo ni árbol ni libro

oiçam bem


Links


Outras músicas


Contactos


Anedotas

Era uma vez uma senhora que tinha os dentes tão amarelos, tão amarelos que um dia ia a atravessar a rua, sorriu e os carros abrandaram todos.

Outras Leituras


Veja e aprecie


videologia



Últimas Galeria


Sondagens

Neste momento não existe nenhuma sondagem activa...

A Voz do Minho

vm.jpg

direitos de autor



as pequenas grandes coisas- 1
Escrito por: Flávio L. Silva

Do mundo entendo as pequenas coisas, os objectos

deixados ao esquecimento das ruas, a casa aberta por cima, as rosas

inclinadas para o pavor, o truque falhado do ilusionista.

 

Algures o silêncio forma o seu arquipélago, enche os poços

de ruínas e outros espasmos. Num grito

acerto o relógio da torre, mato a tirania dos gestos,

e o mundo

espanta-se com o tamanho da minha ausência

 


Partilhar:


Para poder comentar necessita de iniciar sessào.

©2018. Todos os direitos reservados